Ganhadora do Prêmio Here for Good 2018 Conversa com o CEO da Laureate sobre Educação como Agente de Mudança social.

Melanie Tran, 23 anos, sabe bastante sobre obstáculos percebidos.

“Como uma pessoa que vive com deficiência, sempre fui cercada por pessoas que tinham várias opiniões e perspectivas sobre deficiências e que, às vezes, afogaram meus próprios pensamentos e ambições”

Melanie Tran

Tran, que tem uma condição neuromuscular, conversou recentemente com o CEO da Laureate International Universities, Eilif Serck-Hanssen.

A vencedora do Prêmio Laureate Here for Good de 2018 viajou de Sydney, na Austrália à cidade de Baltimore, em Maryland, nos Estados Unidos, pela primeira vez, para compartilhar sua história no Town Hall, evento trimestral da Laureate que aconteceu na última sexta-feira. Tran descreveu o que a educação significou para ela:

“A educação me mudou como pessoa”, disse. “Isso me ajudou a crescer como pessoa e me ajudou a construir uma carreira e um caminho”. Continuou, “Sempre quis usar a criatividade como uma plataforma para criar um trabalho significativo. Ao mesmo tempo, eu sabia que paixão e motivação sozinhas não me levariam até lá. Eu precisava ter as habilidades técnicas para chegar onde eu precisava estar e acho que a educação, especialmente o ensino superior, foi a resposta para isso”.

Transformadora, inovadora, ativista e empresária, Melanie graduou-se como Bacharel em Mídia Digital pela Torrens University, na Austrália e fundou a AbilityMate, uma empresa que usa impressão 3D para criar órteses customizadas. Ela também é Designer de UX para o Hireup, uma plataforma on-line que permite que pessoas com deficiências localizem e gerenciem profissionais de suporte.

“Como uma pessoa com deficiência, conto muito com a tecnologia para me ajudar a fazer o trabalho que faço todos os dias e, por essa razão, testemunhei em primeira mão como ela pode ser poderosa quando usada e criada pelas pessoas que fazem uso dela”. Comentou sobre seu trabalho nos setores de Tecnologia e Design.

Tran compartilhou que descobriu recentemente que ela ganhou uma bolsa integral para concluir um mestrado em filosofia e um doutorado na Torrens University. Ela quer continuar a trabalhar para melhorar a vida das pessoas com deficiência.

“Ao longo dos anos de aprendizado e tendo oportunidades de trabalhar no setor, descobri que o Design é muito mais do que apenas estética e funcionalidade, mas também significa desenhar a mudança social”, disse Tran.

Ela falou sobre os desafios que enfrenta tanto como mulher quanto como pessoa com deficiência em uma indústria dominada por homens e por pessoas sem deficiência.

‘Eu tenho perguntado às pessoas: “quando você olha para mim, você me vê como uma mulher ou uma pessoa com deficiência ou mesmo como uma pessoa em uma cadeira de rodas?” e o que eu aprendi com isso, independente da resposta a essa pergunta, não muda o fato de que o acesso e a inclusão precisam ser incorporados em nossa sociedade e em nossa cultura’,

afirmou

Cerca de 300 funcionários e 1100 online assistiram à conversa entre Tran e Serck-Hanssen.