Empoderamento por Meio da Autoidentidade

Uma ida ao shopping para comprar bonecas para uma ação social se transforma em uma missão para disseminar autoidentidade e afirmação positiva em crianças afrodescendentes no Brasil por meio da Amora Brinquedos Afirmativos. 

Três anos atrás, Geórgia Nunes estava comprando bonecas para usar em uma ação social para crianças, que realizava junto a um grupo do qual fazia parte em sua comunidade predominantemente negra. Enquanto percorria as lojas de brinquedos, ela não pôde deixar de notar a falta de diversidade das bonecas em exposição – um problema comum que ela vivenciou como uma criança afrodescendente crescendo na Bahia.  

Depois de uma pequena pesquisa, Geórgia descobriu que menos de 8% das bonecas fabricadas no Brasil eram negras, apesar de 54% da população total ser afrodescendente. Com a sua própria máquina de costura e um diploma em Design de Produto, ela começou a fazer as bonecas sozinha. Surgia assim o sonho da Amora Brinquedos Afirmativos.  

Hoje, a Amora Brinquedos Afirmativos promove a igualdade racial, a diversidade e a inclusão por meio de ações afirmativas, vendas e doações de brinquedos racialmente diversos que fazem a autoafirmação da identidade das crianças que brincam com elas. A organização fabrica, vende e doa bonecas por meio do site da Amora e de lojas de varejo na Bahia. Para cada boneca vendida, outra é doada para uma escola local. Mais de 200 bonecas foram produzidas desde 2016. 

Além disso, a Amora organiza oficinas de criação de bonecas dando aos alunos habilidades práticas enquanto eles são inspirados a ter uma autoidentidade positiva. Uma oficina para crianças, O lápis que mudar a cor”, aborda a diversidade incentivando os alunos a usar lápis de cor diferentes para tons de pele. A Amora também faz parcerias com escolas locais para incorporar narrativas de histórias africanas a suas aulas. Até o momento, 150 crianças já participaram de suas oficinas e mais de 500 pessoas assistiram a palestras e oficinas sobre defesa de crianças afro-brasileiras. “Essa iniciativa é tão importante para empoderar crianças que enfrentam discriminação e racismo em nossa comunidade”, diz Joelma Lopes Sousa, mãe de uma criança influenciada pelas atividades da Amora. “Elas se veem representadas nos brinquedos e incluídas nas aulas de história. Isso tem grande valor”. 

Em reconhecimento ao seu impacto, Geórgia recebeu uma bolsa de estudos no Prêmio Laureate Brasil – Jovem Empreendedor Social em 2017, adquirindo habilidades e recursos adicionais para desenvolver seu projeto. Em 2018, a Amora foi uma das trinta iniciativas escolhidas pela Vale do Dendê, uma incubadora de empresas na cidade de Salvador, para receber orientação e apoio na expansão de seus negócios.  

Nos próximos dois anos, Geórgia quer expandir o Amora para outras regiões do Brasil. Ela imagina um mundo onde todas as crianças negras se sintam representadas e incluídas na sociedade, tornando-se a próxima geração de líderes. Enquanto ela continua a fazer a Amora crescer, ela também está fazendo pós-graduação em Docência do Ensino Superior na UNIFACS para que possa se tornar professora. “Acredito que a educação é a única maneira de tornar o mundo um lugar melhor”, conclui.