Doug Becker e Lorna Davis Discutem Sobre o Movimento B Corp

Em uma recente reunião de líderes mundiais em Miami, tivemos o privilégio de receber Lorna Davis, presidente da DanoneWave e Chief Manifesto Catalyst da Danone, para conversar com o CEO da Laureate, Doug Becker, sobre a importância de empresas como a Laureate e a Danone assumirem a liderança neste movimento global. A subsidiária norte-americana da Danone, DanoneWave, é a maior PBC (sigla em inglês para corporação de benefício público) no mundo em termos de receita e Laureate é a maior  empresa no mundo com certificado B Corporation®.

A conversa de Doug e Lorna aconteceu em torno do porquê as empresas com nosso tamanho e escala deveriam contribuir para o bem maior e como podemos aumentar coletivamente o movimento.

Abaixo estão alguns destaques dessa conversa.

  • Lorna sobre como o tamanho e a escala de Danone podem ajudar a aumentar o movimento: “Todo mundo tem seu lugar nesta jornada. As pequenas empresas têm muito a acrescentar porque são pequenas e flexíveis. Somos grandes, o que às vezes é uma desvantagem. Às vezes, somos considerados como não confiáveis. Mas o outro lado da moeda é que somos grandes e as pessoas nos levam a sério. Se fizermos uma declaração e exigirmos que nossos fornecedores adotem certos valores, eles nos ouvem. A vantagem do nosso tamanho é que podemos influenciar muitas pessoas com quem fazemos negócios.”
  • Lorna sobre o potencial da Laureate para liderar com base no currículo e no desenvolvimento de habilidades: “Toda essa questão de ser uma inspiração para os outros, vocês [Laureate] tornaram-se uma PBC e uma B Corp e, em seguida, abriram o capital, isso foi extremamente inspirador para nós porque ninguém tinha feito isso antes. Agora, quando vejo como as universidades terão de tratar o design organizacional e as habilidades de liderança, há toda uma área de mudanças que precisará acontecer. Então, quando analiso o seu currículo e a influência de seus estudantes nesta jornada nos próximos 10 a 20 anos, acho que vocês serão capazes de criar um mundo completamente novo e queremos ajudá-los a fazer isso.”
  • Lorna sobre o porquê todas as empresas deveriam fazer parte desse movimento: “Eu acho que existem três razões pelas quais fazemos isso:
    • De alguma forma, esta é simplesmente a coisa certa a ser feita. Somos pais, somos membros da comunidade e queremos que o mundo seja um lugar melhor.
    • Isso oferece uma vantagem competitiva. Você é capaz de preparar os jovens que são possíveis estudantes para viver e operar em um mundo como o que estamos falando. Eu recebo muitos e-mails de jovens que querem trabalhar conosco por causa disso, não porque fazemos iogurte. E as pessoas querem estar preparadas para isso. As pessoas estão dispostas a trabalhar para nós gratuitamente para aprender isso.
    • Se você não fizer isso, você ficará para trás. Então, você também pode fazê-lo agora. Quando esses jovens estiverem em empregos de alto nível, isso tudo será simplesmente óbvio.
  • Lorna sobre como as empresas com fins lucrativos podem fazer uma diferença positiva no mundo: “Toda a questão do lucro como motivo é muito interessante para mim, porque após passar muito tempo com ONGs na minha carreira, estou absolutamente convencida de que um sistema lucrativo é a maneira mais efetiva de fazer a diferença no mundo… A magia está realmente na solidez e na habilidade dos empresários fazerem concessões. As pessoas que geram negócios são especialistas em concessões. Isso é o que fazemos. Isso é o que todos fazem. E essa é uma habilidade muito rara comercialmente. Eu acho que é algo que precisamos usar como força para o bem. É por isso que acho que a jornada é tão emocionante.”