Construindo uma Fundação Habitacional mais Forte para Famílias Peruanas

Em uma missão para revolucionar o setor de habitação social e planejamento urbano no Peru, Sebastián Paredes e Marisol Layseca, dois arquitetos e empreendedores sociais, fundaram a MUTUO, uma plataforma on-line de competição de arquitetura que conecta arquitetos de todo o mundo para conceber habitação segura e de baixo custo.

Sebastián e Marisol se encontraram pela primeira vez na Faculdade de Arquitetura da Universidad Peruana de Ciencias Aplicadas (UPC), onde sua visão de ajudar as pessoas a construir casas melhores e mais econômicas começou a tomar forma.

A crise do déficit habitacional no Peru afeta mais de 7 milhões de pessoas. Das famílias que conseguem construir uma casa, 60% o fazem sem consulta profissional de arquitetos ou engenheiros porque não podem pagar por isso. Essa desconexão entre arquitetos e famílias geralmente resulta em falhas estruturais ou de projeto graves.

“Como estudante, fui cofundador de uma ONG que realizou intervenções de habitação social em pequena escala em comunidades urbanas marginalizadas”, diz Sebastián. “Consegui identificar muitas necessidades e lacunas nas ações de habitação social no Peru. No entanto, também aprendi que, para as organizações crescerem e terem um impacto real, elas devem se tornar sustentáveis”. Ele imaginou uma maneira mais eficiente de trazer mudanças sociais e envolver os membros da comunidade como clientes, em vez de serem objetos de caridade.

Com a intenção de ajudar a diminuir esta divisão e capacitar as famílias no processo, Sebastián e Marisol fundaram a MUTUO. No início de 2018, a MUTUO lançou seu primeiro concurso internacional de arquitetura, CIUDADES [en] VISIBLE 2018, com uma resposta impressionante de arquitetos em todo o mundo. Uma parceria com a UPC financiou uma campanha publicitária no ArchDaily, uma das plataformas on-line de arquitetura especializada mais populares do mundo, aumentando a exposição e a participação internacional.

O CIUDADES [en] VISIBLE 2018 convidou arquitetos e engenheiros, estudantes e profissionais, para projetar residências para cinco famílias em um distrito de baixa renda em Lima. 230 equipes com mais de 800 arquitetos de 20 países diferentes participaram da competição, resultando em 108 propostas de design exclusivas para cada casa. Cada proposta teve que ser projetada considerando as necessidades e características específicas de cada família e terreno onde a casa será construída.

As oito melhores propostas foram para uma rodada final para serem avaliadas por uma equipe internacional de seis renomados escritórios e profissionais de arquitetura. Com a participação dos beneficiários, o desenho vencedor está passando por uma análise técnica para a construção, que deve começar em 2019.

Sebastián e Marisol têm sonhos ambiciosos para o futuro da MUTUO e sua visão de ajudar a desmarginalizar as famílias por meio do design funcional, econômico e inclusivo. “Queremos replicar isso quantas vezes pudermos. Agora temos recursos suficientes para diversificar nosso modelo de negócios. Embora os concursos sejam uma ótima ferramenta para conscientizar e trazer mudanças, seu impacto é limitado. Temos 800 arquitetos atendendo cinco famílias, mas nosso sonho é ter 800 arquitetos atendendo 800 famílias ”, diz Marisol. “Estamos fazendo muito com poucos recursos. Demonstramos que o planejamento em pequena escala pode fazer uma grande diferença e desejamos ampliar nosso escopo para envolver bairros, povoados ou até mesmo cidades inteiras.”