Celebrando o Dia Internacional da Mulher

Eu sempre soube que comunidades, empresas e países são mais fortes quando as pessoas estão unidas, não divididas. Quando vemos força na diversidade e não tememos a diferença.

Penso na minha mãe de 91 anos, Marianne, que, contra todas as probabilidades, conseguiu construir uma vida para si própria (e, mais tarde, para seus filhos), que estava além de qualquer expectativa que poderia ter imaginado quando criança. Até hoje, ela continua sendo uma defensora incrivelmente apaixonada pela educação já que foi um elemento fundamental em seu ingresso na classe média.

Sou grato por poder transmitir a mensagem da minha mãe às minhas próprias filhas, Victoria e Ella. Nunca tive tanta convicção sobre o direito das mulheres de aprender, contribuir e liderar a partir do momento que elas nasceram. Agora, com 14 e 12 anos, olho para as duas e contemplo o mundo em que elas estão vivendo. Um mundo em que, estatisticamente – na maioria dos países – ainda é provável que elas ganhem menos e tenham menos oportunidades do que seus colegas do sexo masculino. Isso é inaceitável – e lidar com isso é uma responsabilidade que todos nós compartilhamos.

É impossível ser um líder na educação hoje e não se importar com o fato de que ainda existem cerca de 131 milhões de meninas em todo o mundo que não têm a oportunidade de frequentar a escola. Isso não só é profundamente injusto, como também me comove imaginar o que perdemos em termos de inovação, criatividade e conquistas que poderiam ser ampliadas se o direito delas de aprender fosse honrado.

Temos aproximadamente 65 mil colaboradores em todo o mundo e aproximadamente 50% são mulheres, no entanto, apenas 26% no nível executivo. Embora isso possa ser maior do que em outras companhias, isso não reflete com precisão a empresa que eu sei que aspiramos ser. Somos mais fortes quando nossa liderança reflete verdadeiramente os estudantes e as comunidades que atendemos e incorporamos a diversidade na maneira em que operamos.

Isso não apenas parece inerentemente a coisa certa a se fazer, como um estudo recente da McKinsey demonstrou que as empresas no primeiro quartil de diversidade de gênero têm 15% mais probabilidade de ter retornos financeiros acima de seus respectivos pares na indústria nacional.

No Dia Internacional da Mulher, penso nas mulheres incríveis que temos em toda a nossa rede fazendo um trabalho maravilhoso. Tenho muito orgulho de nossa aluna Melanie Tran, na Torrens University, na Austrália, pela maneira como ela está usando a tecnologia disruptiva para capacitar pessoas com deficiência.

E as duas professoras, Fatima Casa Nova e Alessandra Bahia, no Centro Universitário dos Guararapes (UniFG), no Brasil, que transformaram os ambientes de aprendizado para nossos alunos durante o surto do Zika vírus, garantindo que eles obtivessem resultados acadêmicos sólidos, enquanto causavam um impacto significativo na comunidade local.

No Dia Internacional da Mulher, não quero apenas parar e refletir, quero também reforçar um forte compromisso pessoal. Eu, juntamente a Equipe de Liderança, estamos determinados a ser mais proativos na criação de oportunidades para as mulheres continuarem a liderar e prosperar nesta empresa, além de pedir a todos nós que sejamos mais intencionais em considerar os valores que desejamos defender – com e para – nossos 875 mil estudantes e nossos futuros graduados.

Somente em 2017, oferecemos US$ 925 milhões em bolsas de estudo e descontos em toda a nossa rede. Pense um pouco sobre o que isso significa e o número de mulheres que conseguiram acessar o ensino superior de qualidade por nossa causa. Ainda não fazemos o suficiente para rastrear o impacto dessa contribuição, mas faremos melhor. Devemos entender isso, valorizar e garantir que mais esforços para criar acesso sejam direcionados especificamente para mulheres que, de outra forma, não teriam essa oportunidade.
 
Nossa organização está em uma posição forte para mudar vidas e eu sei que todos somos melhores quando a oportunidade, o conhecimento e o empoderamento não são concedidos a apenas alguns.